ODONTOPEDIATRIA

Pré-natal Odontológico

As alterações hormonais na gravidez podem repercutir diretamente na cavidade bucal da gestante, que pode apresentar, por exemplo, uma predisposição a doenças gengivais e desenvolvimento de cáries e erosões (acidez que provoca o desgaste do esmalte dentário) devido aos episódios frequentes de vômitos. Daí, a importância das limpezas periódicas e da aplicação do flúor nesse período.

As mamães são conscientizadas sobre a importância da amamentação e recebem todas as orientações sobre o universo de chupetas, tipos de bicos, mamadeiras, mordedores e acessórios para higiene dos bebês, como as dedeiras e os cremes dentais específicos.

É uma fase bem indicada para educar as mamães, pois se encontram num momento de suas vidas de grande sensibilização, devido a magia que envolve a maternidade.

A Idade da 1ª Consulta

Com a erupção dos primeiros dentinhos, por volta dos 6 meses, já é recomendada A PRIMEIRA VISITA AO ODONTOPEDIATRA.

Na prevenção, todos os esforços estão voltados para evitar a cárie e outras doenças ou curá-las numa fase inicial, reparando maiores prejuízos aos dentes, o que justifica a importância de uma abordagem precoce, onde nosso objetivo é CÁRIE ZERO, ou seja, dar todas as condições para que as dentições se desenvolvam com saúde e a criança chegue a idade adulta sem histórico de cárie.

Esse contato desde cedo, é importante do ponto de vista da saúde bucal e do aspecto psicológico, pois quanto antes a criança conhecer o ambiente odontológico, maior será sua aceitação e familiarização às consultas. Para que esperar surgir uma situação de dor, onde esse primeiro contato fará com que a criança associe o dentista ao sofrimento, restando traumas que a acompanharão até a vida adulta ?

Medo de Dentista

Ir ao dentista aparece sempre entre os maiores medos da população. Fato atualmente inaceitável, mas compreendido quando estudamos os procedimentos do passado. Assim como todas as áreas /profissões, também na odontologia as técnicas atuais, a eficiência dos sais anestésicos, equipamentos modernos entre outros aperfeiçoamentos possibilitam conforto na cadeira do dentista.

No entanto modificar essas ideias ultrapassadas e competir com a mídia que diariamente insiste em associar dentista a sofrimento, é uma luta constante. Cabe ao profissional se preocupar com o bem estar do seu paciente e oferecer sempre as melhores opções de tratamento.

Para controlar a fobia e melhorar a cooperação do paciente proporcionando o tão almejado conforto, disponibilizamos alguns métodos e técnicas especiais.

Bactérias Cromogênicas

Pigmentações dentárias extrínsecas de coloração enegrecida são frequentemente relacionadas ao uso de medicamentos contendo ferro, de cariostáticos ou de tabaco. Entretanto, bactérias cromogênicas, como a da espécie Prevotella melaninogênica, têm sido relacionadas à pigmentação negra do biofilme dentário. Clinicamente, crianças portadoras de manchas negras, resultantes da atividade desses microrganismos cromogênicos apresentam baixa prevalência de cárie. O pigmento responsável pela coloração negra é composto férrico insolúvel, formado pelo resultado da interação entre produtos bacterianos e saliva.

Além do comprometimento estético, a remoção dessas manchas visa à manutenção da saúde bucal uma vez que essa espécie bacteriana apresenta expressiva atividade colagenolítica.

Essa pigmentação é difícil de remover apenas com a escovação em casa, é preciso procurar um dentista para realizar a profilaxia profissional através de métodos mecânicos como raspagem, ultra-som ou jato de bicarbonato para sua remoção.Existe uma preocupação com o desgaste excessivo do esmalte dentário, já que há a tendência de recidiva. Sugere-se realizar a limpeza no dentista de 3 em 3 meses ou quando as pigmentações começarem a surgir.

Sucção de Dedo

Desde a vida intra-uterina, a partir do período fetal, o ser humano instintivamente suga a língua, os lábios e os dedos de tal forma que, no momento do nascimento, a função sucção se encontra plenamente desenvolvida. O órgão bucal, mediante a sucção, é de extrema importância para a criança recém-nascida. É através da boca que a criança sobrevive,alimentando-se e interagindo com o meio que a cerca, satisfazendo-se emocionalmente.

As crianças sugam seus dedos em várias circunstâncias: quando adormecem, durante o sono, quando aborrecidas ou frustradas. Também quando famintas, durante situações estressantes ou quando estão de mau humor, agitadas e sabem que precisam se acalmar, ou mesmo quando insatisfeitas após a amamentação.

Traumatismo Dentário

• O QUE FAZER SE SEU FILHO SOFRER UM TRAUMATISMO DENTÁRIO?

Durante a infância é comum que as crianças, que levam milhares de tombos aprendendo a andar, correndo, brincando e andando de bicicleta, acabem batendo os dentes. Por isso é importante que os pais saibam como proceder no caso de um acidente para conseguir “salvar” o dente ou, pelo menos, diminuir o dano causado.

São vários os tipos de traumatismo que podem acontecer com os dentes , tecidos moles ( lábios, língua, bochecha), tecido ósseo e de sustentação. Para cada caso há uma indicação de tratamento e controle. As maiores complicações devido a traumas, tanto nos dentes de leite como nos dentes permanentes, acontecem por falta de atendimento imediato e controle realizados no consultório pelo profissional.

• O que os pais precisam saber:

1- Que o dente de leite tem raiz e que no seu interior existe um canal por onde passam nervos e vasos sangüíneos (polpa). Também que o dente permanente está sendo formado muito próximo desta raiz, desde que a criança nasce. Assim, existe o risco de haver alguma sequela no dente permanente dependendo do tipo de trauma sofrido.

2-Que todo dente que sofre traumatismo tem que ter acompanhamento clínico e radiográfico no consultório, pelo período de no mínimo 1 ano e 6 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes, pois podem acontecer complicações decorrentes do trauma ao longo desse tempo.

3- Que nem sempre o dente afetado por trauma apresenta alteração da cor. E se houver, nem sempre isso indica perda de vitalidade do dente e consequente necessidade de tratamento. Caberá ao profissional avaliar se haverá indicação de algum tratamento ou apenas continuidade do controle periódico.

4- Que mesmo os “pequenos” traumas nos dentes de leite, onde só há um leve sangramento, precisam de atenção.

• O que fazer no caso de trauma dental:

1- Se possível, procure entrar em contato com o dentista imediatamente, em qualquer horário. Em alguns casos uma orientação adequada por telefone ajuda os pais a lidarem com a situação.

2- Se houver muito sangramento, procure estancá-lo através de gaze, toalha, lenço ou gelo a fim de ver de onde está vindo o sangue.

3- Nos casos em que acontecem sangramento e/ou aumento da mobilidade do dente, pode ter ocorrido uma fratura de raiz e o atendimento deve ser o mais rápido possível. O raio x poderá confirmar a presença de fratura.

4- Quando o dente sai parcialmente da posição (extrusão ou luxação), quanto mais rápido for reposicionado maiores são as chances de ser recuperado.

5- Quando o dente permanente sai totalmente (avulsão dental) , quanto mais rápido for reimplantado, maiores serão as chances de sucesso. Se conseguir, reposicione o dente no local da avulsão (sem tocar na raiz; pegue o dente pela coroa) e procure imediatamente o dentista. Caso contrário, coloque o dente num recipiente com soro fisiológico, leite ou saliva e deixe que o profissional faça o reimplante. Se isso acontecer com o dente de leite, o reimplante não está recomendado, pois a chance de sucesso é mínima. Mas é muito importante que o profissional examine a criança o mais rápido possível.

6- Se o dente “sumiu” e você não o encontrou, é possível que ele tenha sofrido uma intrusão total, ou seja, tenha entrado completamente no osso alveolar. O dentista irá radiografar e determinar o tratamento. Às vezes, essa intrusão (dente entrar) é parcial.

7- No caso de quebrar uma parte do dente e esta for encontrada, coloque-a no soro, leite ou saliva e procure o dentista, pois dependendo do tamanho do fragmento, é possível fazer sua colagem no dente, recuperando-o esteticamente.

• Como é possível prevenir traumatismos dentários?

 

“Com criança, todo cuidado é pouco” . Lógico que existem situações inesperadas e em questão de segundo o trauma acontece. Mas é bom:
– evitar situações de risco como o uso de andadores para bebês
– ser mais cauteloso com a criança que está aprendendo a andar
– usar a escada para entrar e sair da piscina
– não correr descalço em chão molhado
– usar protetores bucais para prática de esportes de risco
– não andar e/ou correr com objetos na boca ( mamadeira, copo, caneta, brinquedos)
– usar sempre o cinto de segurança quando estiver no carro